Nísia Floresta - Aqui sob esta abóbada





Nísia Floresta - Aqui sob esta abóbada


Aqui sob o zimbório, onde um santo viveu,

Eu scismo sobre o nada… E a lama entristeceu…

E vem-me ao coração, assim, desilludido,

Santa recordação do meu filho querido…

A lembrança dos meus é orvalho enluarado

Suavizando o calor do meu peito abrazado.


Da vida no espinhal, de minha mãe a imagem

É perfume de flor, é verde de ramagem…

Branca e doce visão aos pés do altar pendida,

Intercedendo aos céos pela filha dorida,

Que chora de amargor, ante o vício e o peccado,

Enquanto escuta da alma um som nunca estudado…


Brando e divino som, que ao coração me vem

Como resteas do sol, como um sopro do Bem…

Seria a tua prece, ó mãe, o teu cicio

Que em mim repercutindo, eu sinto que allivio?

Deus fazendo vibrar seraphica oração,

Harmonia do céo, dentro do coração?


Ó mãe, esposo e pae, ó trindade primeira,

Que eu recordo, entre o crepe e a flor da laranjeira,

Como estrellas brilhando em rosários de luz,

Um clarão derramai aos pés da minha Cruz!…


Nísia Floresta(1810-1885)

foi poetisa e escritora brasileira.









Conteúdo correspondente: